A EFD-Reinf 2018 é uma das novas obrigações para ficar de olho! Ter um controle saudável das finanças de uma empresa e suas obrigações fiscais com o governo é não só uma garantia de que o seu negócio está cumprindo as leis, mas uma forma de dar tranquilidade a quem o administra para focar em estratégias e resultados de negócio.

Neste post, veja o que é essa declaração, o que ela exige da empresa e como você pode utilizar a tecnologia (como o Módulo DL do Ease Controller.net) para enviá-la sem problemas. Solucione as principais dúvidas sobre o assunto!

O que é a declaração EFD-Reinf?

A sigla que parece complicada significa apenas Escrituração Fiscal Digital de Retenções e outras informações fiscais. Essa é uma nova obrigação normatizada pelo governo em 2017, além de ser um novo módulo inserido no Sistema Público de Escrituração Digital (SPED).

Na verdade, a EFD-Reinf foi criada para complementar o eSocial, com recursos específicos que aprimoram a sua utilização. É uma escrituração mais simples em paralelo a ele, que substitui várias obrigações acessórias como a DIRF, a GFIP e outras obrigações e formulários como RAIS, CAGED, Livro de Registro de Empregados etc.

Falando em termos mais práticos, a EFD-Reinf é a digitalização e o envio desses documentos, que antes eram transmitidos pela EDF-Contribuições, e só pode ser realizado por meio de um sistema — não há um programa (interface) da Receita Federal. O Módulo DL do ERP Ease Controller.net do Grupo Ease, por exemplo, é uma ferramenta capaz de realizar essa transmissão com praticidade.

Para as empresas, ele significa uma forma de melhorar e ampliar o uso do eSocial, com processos simplificados que de um lado facilitam o trabalho do administrador financeiro, e de outro diminuem o risco de sonegação nesses itens.

Quais empresas devem se preocupar com a EFD-Reinf 2018?

Todas as empresas brasileiras estão sujeitas à obrigação de envio da EFD-Reinf 2018 como parte da implementação do eSocial. Essa nova modalidade foi implementada para este ano como primeiro ano de exercício, separando as empresas em três categorias:

  1. empresas privadas com faturamento superior a 78 milhões de reais em 2016;
  2. empresas privadas com faturamento inferior a 78 milhões de reais em 2016;
  3. órgãos públicos da administração direta, autárquica e fundacional.

Exceto pelo prazo, tanto a obrigação da declaração quanto as informações necessárias, o modo de documentação e a transmissão ao SPED são iguais para todos esses casos.

Quais informações devem ser repassadas ao Fisco?

Como essa é uma nova forma de digitalizar e enviar seus documentos à Receita, é muito importante que as empresas se adaptem o quanto antes para que isso não se torne um problema, cause perdas por multas ou até atrapalhe a administração pelo acúmulo de obrigações.

Para que você consiga se preparar o mais rapidamente possível, vamos ajudar listando quais contas devem ser prestadas exclusivamente para o envio da EFD-Reinf 2018.

Financeiro

A área financeira deve se atentar às informações referentes a toda a gestão da empresa, como pagamentos e recebimentos por serviços, benefícios indiretos que gerem receita, ganho com espetáculos esportivos e outros eventos, além do pagamento de tributos e contribuições.

Jurídico

Do setor jurídico, a declaração exige informações sobre ações trabalhistas e todos os depósitos judiciais realizados no ano de exercício.

Suprimentos

Outra obrigação é a entrega dos dados, quando existentes, sobre cadastro de prestadores de serviço, notas fiscais recebidas e comercialização de produção rural no caso desse setor industrial.

Tributário

Por último, a EFD-Reinf exige informações sobre o desempenho tributário da empresa, como retenção de serviços tomados e prestados, impostos retidos na fonte e contribuições previdenciárias.

Qual é o prazo para envio dessa declaração?

A EFD-Reinf tem um prazo diferente de entrega do e-Social, que vence no primeiro semestre do ano. Apenas o primeiro grupo de empresas — com faturamento anual superior a 78 milhões de reais — tem que entregar a documentação até maio.

Já para os negócios que faturam menos do que isso (a maioria das empresas brasileiras), o prazo para entrega da EFD-Reinf foi adiado pela Receita para o dia 10 de janeiro de 2019. O descumprimento desse prazo exige uma entrega diferenciada em separado e está automaticamente sujeita à aplicação de multa.

Como preparar a EFD-Reinf de forma rápida, segura e sem erros?

Como qualquer outra obrigação fiscal, a EFD-Reinf pode se tornar uma dor de cabeça se quem administra o negócio não se prepara de acordo. Portanto, achamos uma boa ideia terminar o texto com algumas dicas para não perder prazos ou cair na malha fina. Confira.

Coordene os setores para uma entrega sincronizada

Como você pôde ver, a EFD-Reinf exige informações de várias origens diferentes — financeira, tributária, jurídica e trabalhista. Um bom gestor sabe como integrar e coordenar todos esses setores com foco em eficiência e produtividade.

Tendo regras claras de inserção de dados e um ambiente simplificado para esse trabalho, é possível deixar todos na mesma página e ter as informações necessárias quando você estiver trabalhando no envio.

Colete informações automaticamente ao longo do ano

A forma mais rápida de resolver obrigações fiscais é se preocupar com elas um pouquinho todos os dias em vez de deixar todo o trabalho para o mês de entrega.

Se as informações pedidas puderem ser coletadas e armazenadas automaticamente ao longo do ano, elas estarão organizadas, estruturadas e segmentadas para uma montagem rápida, completa e sem erros da sua declaração.

Programe-se para entregar antes do vencimento

Deixar qualquer declaração para a última hora atrapalha sua produtividade e deixa suas informações muito mais suscetíveis a erros na inserção de dados e até falhas de segurança.

Planeje o seu trabalho e a coordenação dos setores para pelo menos um mês antes do vencimento do prazo. Só existem vantagens para quem otimiza esses processos e declara antes da hora.

Utilize um ERP como o do Grupo Ease para facilitar todo o processo

Coordenação entre setores, automação na coleta e armazenamento de dados, programação de fluxo de trabalho, verificação e proteção de dados: tudo isso pode ser feito com muito mais facilidade se a sua empresa investir em tecnologia.

Um ERP modular de qualidade é capaz de gerenciar toda a informação financeira e tributária de uma empresa, com uma verdadeira estruturação nas informações relevantes para o negócio. O Módulo DL do Ease Controller.net executa exatamente essa função, captando informações de todos os outros setores e gerando automaticamente a documentação necessária.

O resultado é que um sistema de gestão (quando pensado nisso) é capaz de se antecipar, organizar sua documentação e simplificar a declaração — inclusive com integração completa ao SPED.

Com o prazo da EFD-Reinf 2018 chegando ao fim, ter um ERP especializado na sua empresa pode ser a solução perfeita para garantir uma entrega sem erros e sem atrapalhar a sua produtividade.

Quer resolver questões fiscais sem dificuldade e sem cair na malha fina ou pagar multas? Entre em contato conosco! O Ease Controller.net é exatamente o que você precisa!

Escreva um comentário