E-book ERP para Shopping - blog grupo easePowered by Rock Convert

A gestão de segurança em um Shopping Center deve fazer parte das prioridades dos seus líderes e superintendentes. Nesse aspecto, as estatísticas mostram que nos centros urbanos existe uma tendência de aumento no número de registros de crimes.

Segundo as últimas estatísticas conhecidas, até 2017 a cada 40 horas uma ocorrência era registrada no Rio de Janeiro. Já em São Paulo, as estatísticas apontam para os estacionamentos como os locais em Shoppings mais expostos a roubos e furtos.

Gerir a segurança é fundamental para o sucesso do empreendimento, já que influi na confiabilidade dos consumidores e lojistas. Sendo assim, avance na leitura para saber que desafios são mais recorrentes e o que fazer para superá-los. Acompanhe atentamente!

1. Expor mercadorias valiosas

Já diz a sabedoria popular que “a oportunidade faz o ladrão”. No caso dos Shoppings, essa oportunidade encontra-se em cada loja que expõe mercadorias de alto valor. Sendo assim, joias, acessórios como relógios ou mesmo a presença de cofres dentro das lojas são verdadeiros “ímãs” para atrair criminosos.

Como a exposição de mercadorias é parte do merchandising e, por isso, impedi-la representaria outro problema, o ideal nesse caso é tomar medidas preventivas.

Câmeras posicionadas estrategicamente em locais de grande visibilidade ou de concentração de mercadorias ajudam a inibir a ação de criminosos. Afinal, é a falta de vigilância, dentre outras vulnerabilidades, que faz com que um local seja mais ou menos atraente para a prática de assaltos.

2. Conscientizar lojistas

Tendo em vista que assaltantes agem quando encontram oportunidades, cabe também aos lojistas fazerem sua parte para tornar o ambiente mais seguro. Isso significa evitar o acúmulo de grande somas em dinheiro no interior das lojas, depositando gradativamente o dinheiro vivo à medida em que ele é recebido.

Embora todo Shopping Center tenha por norma uma equipe de segurança, nada impede que cada loja tenha também seus profissionais. Dessa forma, a vigilância é facilitada, já que fica restrita apenas ao ponto de venda. Outro ponto positivo é que vigilantes de lojas e os do Shopping podem atuar em conjunto, aumentando a proteção.

Se for indispensável ter um cofre, pode ser que ter mais de um evite prejuízos maiores — no entanto, essa não é uma medida 100% eficaz. Se um criminoso tiver conhecimento de que a loja tem mais de um cofre, não resta escolha que não seja entregar seu conteúdo em um assalto.

Outra medida importante no sentido não de evitar roubos, mas de preservar vidas é nunca reagir a uma abordagem. Criminosos são imprevisíveis e, com uma arma na mão, podem ser capazes de fazer qualquer coisa. É melhor não arriscar!

3. Controlar os acessos e o estacionamento

Como vimos, os estacionamentos estão entre os locais em que mais ocorrem roubos e furtos dentro de Shoppings Centers. Por isso, a vídeo vigilância torna-se ainda mais importante, já que esses são grandes espaços, propícios para a atuação de delinquentes.

Por sua vez, os acessos de Shoppings são, via de regra, incapazes de barrar a entrada de pessoas armadas ou mesmo portando objetos perfuro-cortantes. Por isso, a vigilância nas portas deve ser redobrada, seja pela presença de agentes, seja por meio de câmeras.

Como seria inviável implementar detectores de metais, a única saída é manter um estado de atenção e vigilância permanente no sentido de detectar qualquer movimentação anormal. O mesmo vale para quando pessoas com comportamentos ou atitudes suspeitas sejam vistas em locais com potencial para a ocorrência de roubos.

4. Vigiar horários pouco movimentados

Além do parqueamento, a gestão de segurança em um Shopping Center deve cuidar da segurança em horários em que o estabelecimento encontra-se com as lojas fechadas. Afinal, depois das 22 horas, é praxe que cinemas, parques de diversão e praças de alimentação permaneçam abertas. É nessa hora que criminosos podem se sentir mais à vontade para agir ou mesmo para planejar assaltos.

Dessa forma, além do monitoramento, é preciso reforçar a vigilância por parte dos agentes de segurança civis. Afinal, com menos tráfego de pessoas, eles têm mais condições para averiguar comportamentos suspeitos e, assim, evitar a realização de um crime.

5. Recrutar profissionais capacitados

Investir na contratação de profissionais qualificados é outra medida essencial. Considerando a necessidade de vigiar permanentemente acessos, estacionamentos e locais mais vulneráveis, é preciso contar com agentes preparados.

Isso porque, além da tarefa de vigiar, deve-se contar com a possibilidade de uma emergência. Nessa hora, uma empresa que não tenha expertise suficiente no segmento de Shopping Center pode não conhecer protocolos de segurança fundamentais. Controle de pânico, técnicas de abordagem e outras ferramentas podem ser necessárias, por isso é tão importante ter o apoio de especialistas.

É preciso considerar, ainda, que os criminosos nem sempre agem nos locais esperados. Há casos de roubos registrados até dentro de salas de cinema. Portanto, quanto mais gente qualificada puder antecipar-se a esse tipo de crime, menores os riscos.

6. Encontrar boas ferramentas

Nem só de câmeras vive a gestão de segurança em um Shopping Center. Uma vigilância sólida se faz também com ferramentas como alarmes, botões de pânico e, não menos importante, com comunicação.

Uma equipe de segurança que se comunica pode fazer a diferença, já que amplia o alcance de medidas de contenção. Nesse aspecto, por exemplo, pode ser interessante investir em reconhecimento facial, no sentido de identificar criminosos procurados. Uma vez confirmada a sua identidade, seria possível acionar a polícia imediatamente para, se necessário, proceder com uma captura.

De qualquer forma, existem casos em que o diálogo entre profissionais de segurança é imprescindível. Afinal, vigilantes não têm poder de polícia, devendo agir só em casos em que realmente uma intervenção seja necessária.

Assim, quanto mais conectados estiverem, de preferência por rádio, menores as chances de serem surpreendidos. Isso, claro, se houver uma central e profissionais atentos o bastante para emitir alertas quando precisar.

Conhecemos neste artigo 6 dos desafios mais recorrentes para a gestão de segurança em Shoppings Centers e dicas sobre o que fazer para superá-los. Esperamos que sejam úteis em suas rotinas e que tornem seu estabelecimento um lugar ainda mais seguro e acolhedor.

Ficou com alguma dúvida ou gostaria de deixar uma sugestão? Aproveite e use o espaço para comentários, afinal, ele é todo seu!

Solicite Demonstração - blog grupo easePowered by Rock Convert

Post relacionado

Escreva um comentário